Quais os tipos de redação mais cobrados no vestibular e como se dar bem em cada um deles

Temida por muitos na hora do vestibular, a redação é encarada como o maior desafio das provas ao lado das questões de exatas. Isso porque, em boa parte dos vestibulares, ela é a única parte da avaliação que sai do modelo das questões de múltipla escolha.

A redação é a oportunidade dos examinadores de analisar a capacidade de argumentação, análise crítica e gramática dos avaliados.

Os primeiros dois segredos para encarar a redação dos vestibulares são: não ter medo de colocar seus pensamentos no papel e treinar com frequência, não apenas os formatos mais solicitados pelos vestibulares, como também se desafiar diariamente a escrever textos de diferentes formas.

No caso da escrita, só a prática vai levar você a produzir um texto coeso, com argumentação bem fundamentada e que atenda ao formato solicitado. Outra dica importante é sair da zona de conforto escrevendo textos e argumentações que não estão diretamente relacionados com o seu pensamento. Se você está preparado para falar sobre temas e assuntos que antes tratava com desconforto, está preparado para todas as redações que aparecerem.

Para ajudar você a perder o medo de vez das redações, conheça os três tipos mais solicitados nos vestibulares e os caminhos para se dar bem em cada um deles:

3 tipos de redação mais pedidos em vestibular

Dissertação

É o mais cobrado nas provas de todo o Brasil. Consiste basicamente em debater o tema proposto pelo examinador. O que será levado em consideração em primeiro lugar será como você estrutura e fundamenta suas argumentações.

O formato da dissertação é o clássico – Introdução/Desenvolvimento/Conclusão. É importante que você fique atento ao tempo verbal empregado, usando temos impessoais e objetivos sempre na terceira pessoa do singular.

Para uma fazer uma boa argumentação, é preciso ir direto ao ponto, portanto, utilize frases curtas, elas darão uma boa fluência ao seu texto e farão a diferença na hora da nota!

Narração

A narração perde em frequência nas provas apenas para a dissertação e tem um formato completamente diferente da queridinha dos examinadores. Nela, você precisa desenvolver o tema proposto em forma de história, que pode ser feita em primeira pessoa ou em terceira, como se fosse o observador contando como tudo aconteceu.

Para contar uma boa história, é preciso definir, antes de tudo, o espaço definido, a trama e as personagens envolvidas. A partir disso, organize um formato composto por introdução/desenvolvimento/conflito/clímax/conclusão.

Ao contrário da dissertação, para se dar bem na narração, use sua imaginação. Uma história envolvente, que tenha emoção e que coloque o leitor dentro da situação proposta será o segredo para conseguir uma boa nota.

Carta

Menos pedido que os outros dois, mas ainda presente nos vestibulares, a carta é um dos modelos que dá mais liberdade para quem está escrevendo.

Por ser sempre endereçada a alguém, ela possui um caráter mais pessoal, privilegiando o pontos de vista de quem está escrevendo utilizando sempre uma linguagem adaptada a pessoa que irá receber o texto.

Para uma boa argumentação, é preciso que você estruture seu raciocínio com início, meio e fim. Use sempre a primeira pessoa e não se esqueça da estrutura da carta, que é bem diferente dos outros textos, composta por: cabeçalho/saudação/argumentação/assinatura.

Além das dicas para os formatos de redação, existe outro fator que será fundamental para que você ganha uma boa nota: a leitura.

É pela leitura que você enriquece seu vocabulário, é apresentado a novas formas de argumentação e de se contar a história. Grandes escritores são conhecidos por serem leitores vorazes. O conhecimento adquirido na leitura vai fazer a diferença na hora de organizar suas ideias e passá-las para o papel!

Comentários

Cadastre-se

Futuro Acadêmico, cadastre-se para receber as últimas novidades e dicas sobre o vestibular, ENEM, provas e muito mais!
Secure and Spam free...